Município de Alvaiázere

• Distrito de Aveiro • Distrito de Beja • Distrito de Braga • Distrito de Bragança • Distrito de Castelo Branco •
Distrito de Coimbra • Distrito de Évora • Distrito de Faro • Distrito da Guarda • Distrito de Leiria • Distrito de Lisboa •
• Distrito de Portalegre • Distrito do Porto • Distrito de Santarém • Distrito de Setúbal • Distrito de Viana do Castelo •
• Distrito de Vila Real • Distrito de Viseu • Região Autónoma dos Açores • Região Autónoma da Madeira •



Área - 159 Km2  Feriado Municipal - 13 de Junho

Freguesias

• Almoster • Alvaiázere • Maçãs de Dona Maria • Pelmá • Pussos São Pedro •



Ordenação heráldica do brasão e bandeira
Estabelecida em reunião de Assembleia Municipal, em 27/06/1986
Publicada no Diário do República n.º 169, 3.ª Série de 25/07/1986

Armas De prata, uma oliveira arrancada de verde, acompanhada em orla de doze trevos também de verde. Coroa mural de prata de quatro torres. Listel branco com as letras "Vila de Alvaiázere", de negro.*

Brasão do município de Alvaiázere



Bandeira - Esquartelada de amarelo e verde, cordões e borlas de ouro e verde. Haste e lança de ouro.*

Bandeira e estandarte do município de Alvaiázere

Bandeira para hastear (2x3)                                                                       Estandarte (1m x 1m)

*Informação gentilmente cedida pela Câmara Municipal de Alvaiázere



Transcrição do parecer

Parecer apresentado por Affonso de Dornellas à Secção de Heráldica da Associação dos Arqueólogos Portugueses e aprovado em sessão de 28 de Dezembro de 1927.

Desejando organizar o seu selo e portanto as suas Armas e a sua bandeira, dirigiu a Câmara Municipal de Alvaiázere o seguinte ofício à Associação dos Arqueólogos:

– Câmara Municipal do Concelho de Alvaiázere. – Alvaiázere, 26 de Setembro de 1927. – Ex.mo Sr. Presidente da Direcção da Associação dos Arqueólogos Portugueses. – Edifício Histórico do Carmo. Lisboa. – O Ex.mo Presidente da Comissão Administrativa desta Câmara Municipal, encarrega-me de pedir a V. Ex.ª a especial fineza de me informar como pode conseguir-se o estudo, por essa Associação do Brasão de Armas deste Município e qual o custo de tal escudo. – Muito grato ficaria a V. Ex.ª pelo incomodo da informação que desde já agradeço. – O chefe da Secretaria (a) Mário de Castro Rosa.

Solicitei para Alvaiázere alguns esclarecimentos sobre a provável existência de alguns elementos que me auxiliassem, recebendo carta do Sr. Mário de Castro Rosa que me diz nada existir à excepção do que vem na página 413 do Romance Histórico «D. Mécia» da autoria de seu pai o Sr. Marques Rosa publicado em Alvaiázere, 1914.

Sua Ex.ª teve a amabilidade de me oferecer um exemplar que muito reconhecidamente agradeço.

Diz Pinho Leal no seu Dicionário «Portugal Antigo e Moderno» que Alvaiázere foi elevada a vila no tempo de D. João I que lhe deu Foral em 1388, mas na «Memoria para servir de índice dos foraes das terras do Reino de Portugal e seus domínios» por Francisco Nunes Franklim, segunda edição, Lisboa 1825, apenas vem referência ao Foral dado por D. Manuel I em 15 de Maio de 1514, que está registado a folhas 116 do Livro dos Forais Novos da Estremadura. Indica ainda Franklim que as inquirições para este Foral estão arquivadas sob n.º 13 no maço das Inquirições, no Armário 17 da Torre do Tombo.

Os estudiosos dizem que Alvaiázere é uma palavra árabe tradução de «Campo Aromático», e o que é facto é que é notória a quantidade de alecrim, rosmaninho, lírios e outras plantas que invadem a serra de Alvaiázere. Uma das ramificações desta serra até se chama Pousa Flores.

O azeite e o vinho são as principais riquezas locais.

É portanto nos dotes naturais que teremos de ir buscar os elementos para a construção das Armas respectivas, incluindo-lhe a representação heráldica de trevo como representante das flores.

Proponho pois as seguintes armas:

– De prata com uma oliveira de verde frutada de ouro, acompanhada de doze flores de trevo verde, colocadas em orlas. Coroa de quatro torres de prata. Bandeira esquartelada de verde e amarelo. Por debaixo das Armas uma fita branca com letras pretas. Cordões e borlas de ouro e de verde. Haste e lança de ouro.

Proponho que a bandeira seja esquartelada de verde e amarelo por ser destes esmaltes a principal peça de armas.

[Affonso de Dornellas.]
 


(Texto adaptado à grafia actual)

Fonte: DORNELLAS, Affonso de, «Alvaiázere», in Elucidário Nobiliarchico: Revista de História e de Arte, II Volume, Número VIII, Lisboa, Agosto 1929, pp. 245-248.

Ligação para a página oficial do município de Alvaiázere

 



• Município de Alcobaça • Município de Alvaiázere • Município de Ansião • Município da Batalha •
• Município de Bombarral • Município de Caldas da Rainha • Município de Castanheira de Pera •
• Município de Figueiró dos Vinhos • Município de Leiria • Município da Marinha Grande • Município da Nazaré •
Município de Óbidos • Município de Pedrógão Grande • Município de Peniche • Município de Pombal •
• Município de Porto de Mós •



Heráldica História e Legislação • Index • Heráldica Autárquica • Portugal • A - Z • Novidades • Contacto • Ligações •
• 
Ultramar Português •
Miniaturas (Municípios) Miniaturas (Freguesias) Miniaturas (Ultramar)

Página actualizada em 08-02-2022                                                                                         Page updated on  08-02-2022