Município da Vidigueira

• Distrito de Aveiro • Distrito de Beja • Distrito de Braga • Distrito de Bragança • Distrito de Castelo Branco •
Distrito de Coimbra • Distrito de Évora • Distrito de Faro • Distrito da Guarda • Distrito de Leiria • Distrito de Lisboa •
• Distrito de Portalegre • Distrito do Porto • Distrito de Santarém • Distrito de Setúbal • Distrito de Viana do Castelo •
• Distrito de Vila Real • Distrito de Viseu • Região Autónoma dos Açores • Região Autónoma da Madeira •



Área - 314,20 Km2  Feriado Municipal - 1 de Junho

Freguesias

• Pedrógão • Selmes • Vidigueira • Vila de Frades •



Ordenação heráldica do brasão e bandeira
Segundo o parecer da Comissão de Heráldica da Associação dos Arqueólogos Portugueses de 30/10/1937
Aprovado pelo Ministro do Interior em 07/06/1938
Portaria nº 9012, do Ministério do Interior,
publicada no Diário do Governo nº 130, I Série de 07/06/1938

Armas - De negro, com uma torre torreada de prata aberta e iluminada do campo, envolvida por uma videira troncada da sua cor, folhada de verde e frutada de púrpura. Coroa mural de prata de quatro torres. Listel branco com os dizeres "Vila da Vidigueira" em negro.

Brasão do município da Vidigueira



Bandeira - Esquartelada de branco e de verde. Cordões e borlas de prata e de verde. Haste e lança douradas.

Bandeira e estandarte do município da Vidigueira

Bandeira para hastear (2x3)                                                                       Estandarte (1m x 1m)



Transcrição do parecer

[Parecer apresentado por Affonso de Dornellas à Comissão de Heráldica da Associação dos Arqueólogos Portugueses e aprovado em sessão de 30 de Outubro de 1937.]

Desejando a Câmara Municipal da Vidigueira que seja definida a composição das suas armas, assim o solicitou à Associação dos Arqueólogos Portugueses.

Tendo sido o vinho a principal riqueza regional, e tendo esta vila um castelo, assumiu, e muito bem, umas armas em que uma torre, representando o castelo, é envolvida por uma videira com cachos e parras. Assim o indica Inácio Vilhena Barbosa no terceiro volume da sua obra – “As Cidades e Villas da Monarchia Portuguesa que teem Brazão d’Armas” – Lisboa, mil oitocentos e sessenta e cinco.

Depois, talharam o escudo, carregando o primeiro do talhado com o busto de Vasco da Gama que foi Conde da Vidigueira, e o segundo pelas armas antigas, ou seja a torre envolvida pela videira. Assim vem no “Portugal Antigo e Moderno”, Lisboa – mil oitocentos e oitenta e dois.

Na heráldica não entram bustos, seja de quem for. Nas salas da Câmara pode haver os retratos e os bustos que se desejem, nas praças e jardins, as estátuas ou monumentos alusivos e nas monografias, os retratos e biografias.

Estão, portanto, as Armas da Vidigueira, as mais antigas, muito bem ordenadas, faltando indicar-lhe os esmaltes próprios e indicar a bandeira e o selo, o que vamos fazer:

ARMAS – De negro, com uma torre torreada de prata aberta e iluminada do campo, envolvida por uma videira troncada de sua cor, folhada de verde e frutada de púrpura. Coroa mural de prata de quatro torres. Listel branco com os dizeres “Vila da Vidigueira” de negro. –

BANDEIRA – Esquartelada de branco e de verde. Cordões e borlas de prata e de verde. Haste e lança douradas. –

SELO – Circular, tendo ao centro as peças das armas sem indicação dos esmaltes. Em volta, dentro de círculos concêntricos, os dizeres “Câmara Municipal da Vidigueira”.

A bandeira é dos esmaltes da torre e do folhado da videira.

Quando destinada a cortejos ou outras cerimónias a bandeira é bordada e de seda devendo medir um metro quadrado.

Quando é para ser arvorada é de filel e terá as dimensões que forem convenientes, podendo deixar de incluir as armas.

O negro indicado para o campo é o esmalte que na heráldica simboliza a terra e denota firmeza, honestidade e cortesia.

A prata da torre é o metal que significa humildade e riqueza.

A púrpura dos cachos é o esmalte que simboliza a abundância.

O verde das parras denota esperança e fé.

Com estas peças e estes esmaltes ficam bem representadas a história e riqueza local e a índole dos naturais da Vidigueira.

[Affonso de Dornellas.]

 

(Texto adaptado à grafia actual)

Fonte: Câmara Municipal da Vidigueira, Livro de Actas das Vereações, de 04-04-1936 a 22-04-1939, pp. 147-148v. (PT/AMVDG/CMVDG/B-A/001/0061), Acta da sessão ordinária de 21 de Maio de 1938.

Ligação para a página oficial do município de Vidigueira

 



• Município de Aljustrel • Município de Almodôvar • Município de Alvito • Município de Barrancos • Município de Beja •
• Município de Castro Verde • Município de Cuba • Município de Ferreira do Alentejo • Município de Mértola •
Município de Moura • Município de Odemira • Município de Ourique • Município de Serpa • Município da Vidigueira •



Heráldica História e Legislação • Index • Heráldica Autárquica • Portugal • A - Z • Novidades • Contacto • Ligações •
• 
Ultramar Português •
Miniaturas (Municípios) Miniaturas (Freguesias) Miniaturas (Ultramar)

Página actualizada em 10-03-2021                                                                                         Page updated on  10-03-2021