Município de Almeirim

• Distrito de Aveiro • Distrito de Beja • Distrito de Braga • Distrito de Bragança • Distrito de Castelo Branco •
Distrito de Coimbra • Distrito de Évora • Distrito de Faro • Distrito da Guarda • Distrito de Leiria • Distrito de Lisboa •
• Distrito de Portalegre • Distrito do Porto • Distrito de Santarém • Distrito de Setúbal • Distrito de Viana do Castelo •
• Distrito de Vila Real • Distrito de Viseu • Região Autónoma dos Açores • Região Autónoma da Madeira •



Área - 222 Km2  Feriado Municipal - Quinta-feira de Ascensão

Freguesias

• Almeirim • Benfica do Ribatejo • Fazendas de Almeirim • Raposa •



Elevação da sede do município à categoria de cidade pela Lei nº 70/91 de 16/08/1991

Ordenação heráldica do brasão e bandeira
Segundo o parecer da Comissão de Heráldica da Associação dos Arqueólogos Portugueses de 15/01/1992
Ainda não foi publicada no Diário da República, conforme o Capitulo 1, Artigo 4º, 2 e 3 , da Lei nº 53/91 de 7 de Agosto, estando assim a legalização incompleta.

Armas De ouro, uma pala de negro carregada de uma águia de ouro de vôo abatido, acompanhada em chefe de uma seta de ouro carregada de uma quina de Portugal e em contra-chefe de três faixetas ondadas, duas de prata e uma de azul. A pala ladeada de duas trompas de caça, a da sinistra voltada, de vermelho, forradas de negro, acompanhada cada uma em chefe e em contra-chefe de um cacho de uvas de púrpura folhado e sustido de verde. Coroa mural de cinco torres de prata. Listel branco com os dizeres a negro : " Cidade de Almeirim ".

Brasão do município de Almeirim



Bandeira - Gironada de oito peças de ouro e púrpura, cordões e borlas de ouro e púrpura. Haste e lança de ouro.

Bandeira e estandarte do município de Almeirim

Bandeira para hastear (2x3)                                                                       Estandarte (1m x 1m)



Anterior ordenação heráldica do brasão e bandeira
Segundo o parecer da Comissão de Heráldica da Associação dos Arqueólogos Portugueses de 20/12/1935
Estabelecida pela Comissão Administrativa Municipal em 24/02/1936
Aprovado pelo Ministro do Interior em 09/07/1936
Portaria nº 8483, do Ministério do Interior,
p
ublicada no Diário do Governo nº 159, I Série de 09/07/1936

Armas - Partidas de uma pala de negro e duas de ouro, sendo a de negro carregada por uma águia aberta de ouro de vôo abatido acompanhada em chefe por uma seta de ouro carregada por uma quina de Portugal e em contrachefe por três faixas ondadas, duas de prata e uma de azul. As palas de ouro são carregadas cada uma por uma trompa de caça, de vermelho forrada de negro, acompanhada em chefe e contrachefe por cachos de uvas de púrpura folhados e sustidos de verde. Coroa mural de prata de quatro torres. Listel branco com os dizeres "Vila de Almeirim" de negro.

Brasão do município de Almeirim



Bandeira - De púrpura. Cordões e borlas de ouro e de púrpura. Haste e lança douradas.

Bandeira e estandarte do município de Almeirim

Bandeira para hastear (2x3)                                                                       Estandarte (1m x 1m)



Transcrição do parecer

[Parecer apresentado por Affonso de Dornellas à Comissão de Heráldica da Associação dos Arqueólogos Portugueses e aprovado em sessão de 20 de Dezembro de 1935.]

A Câmara Municipal de Almeirim, solicitou à Direcção Geral de Administração Política e Civil do Ministério do Interior, que lhe fossem estudadas as suas armas, bandeira e selo.

Em qualquer das obras antigas que se referem a armas de domínio, não encontro elementos sobre esta terra.

Foi Almeirim um escolhido sítio para caçadas e divertimentos dos Reis da Corte e de pessoas de bom gosto, que ali passavam parte do ano.

D. João I iniciou ali a construção de residência própria para si e para os seus. D. Manuel I construiu ali um castelo de que a História não reza, mas reza sim, e é bom que não esqueça, que ali passava a notável via militar romana que partindo de Lisboa, seguia para Mérida, capital da Lusitânia.

Dividiram os romanos a Lusitânia e quatro grandes distritos, havendo em Portugal três capitais desses distritos: Lisboa, Santarém e Braga. Será, portanto curioso que, nas armas de Almeirim, figure a memorável águia dos romanos que saindo da notável cidade romana que era Santarém, passavam por aquela região a caminho de Mérida.

Foi em Almeirim que D. Sebastião recebeu a seta, relíquia do mártir S. Sebastião, que lhe ofereceu o Papa Gregório XIII, o que deu motivo a grandiosos festejos e até a colocarem a representação das Armas Nacionais com que embelezavam a frente do edifício dos Paços do Concelho.

Portanto os naturais de Almeirim recordam o facto que deixou fama. Por isso, achamos interessante que nas armas de Almeirim figure uma quina das Armas Nacionais por ter sido feita por um rei, a fundação da vila, para descanso e divertimento de Reis; que figure a seta; que figure uma águia representativa da notável estrada romana que cortou aquelas regiões; que figurem trompas de caça, recordando a razão do desenvolvimento regional; que figure a representação do Rio Alpiarça que banha os seus campos; e que figurem cachos de uvas, representando a grande riqueza local.

E assim, proponho que as armas, bandeira e selo de Almeirim, sejam ordenados pela seguinte forma:

ARMAS – Partidas de uma pala de negro e duas de oiro, sendo a de negro carregada por uma águia aberta de oiro de voo abatido, acompanhada em chefe por uma seta de oiro carregada por uma quina de Portugal e, em contra-chefe, por três faixas onduladas duas de prata e uma de azul. As palas de oiro são carregadas cada uma por uma trompa de caça de vermelho, forrada de negro, acompanhada em chefe e contra-chefe, por cachos de uvas de púrpura folhados e sustidos de verde. Coroa mural de prata de quatro torres e listel branco com os dizeres “Vila de Almeirim” de negro.

BANDEIRA – De púrpura, cordões e borlas de ouro e de púrpura. Haste e lança douradas.

SELO – Circular, tendo ao centro as peças das armas sem indicação dos esmaltes e em volta, dentro de círculos concêntricos, os dizeres “Câmara Municipal de Almeirim”.

Como a principal riqueza local é o vinho e como este é representado de púrpura, a bandeira é desta cor. Quando destinada a cortejos e outras cerimónias, a bandeira tem a área de um metro quadrado e é bordada em seda.

Quando é para arvorar, é de filel, com as dimensões que forem julgadas convenientes, podendo neste caso dispensar as armas.

O campo das armas, a águia e a seta, são de ouro, metal que na heráldica significa nobreza, fidelidade, constância e poder.

[De negro] É também o campo das armas, assim como o forrado das trompas, esmalte que simboliza a terra e denota firmeza, honestidade e cortesia.

As trompas são de vermelho que significa força, audácia, vida e alegria.

Os rios, está determinado que se representem por faixas ondadas de prata e azul. A prata significa humildade e riqueza. O azul, zelo, caridade e lealdade.

A púrpura das uvas, é o esmalte que significa abundância, riqueza e grandeza. O verde do folhado e sustido dos cachos, denota fé e esperança.

E assim com estas peças e estes esmaltes, fica bem representada a história e fertilidade locais e a índole dos naturais.

[Affonso de Dornellas.]

 

(Texto adaptado à grafia actual)

Fonte: CLAÚDIO, António Nunes do Carmo, Brasões da Vila de Almeirim (Cadernos Culturais), Câmara Municipal de Almeirim, 1989.

Ligação para a página oficial do município de Almeirim

 



• Município de Abrantes • Município de Alcanena • Município de Almeirim • Município de Alpiarça •
• Município de Benavente • Município do Cartaxo • Município da Chamusca • Município de Constância •
• Município de Coruche • Município do Entroncamento • Município de Ferreira do Zêzere • Município da Golegã •
Município de Mação • Município de Ourém • Município de Rio Maior • Município de Salvaterra de Magos •
• Município de Santarém • Município de Sardoal • Município de Tomar • Município de Torres Novas •
• Município de Vila Nova da Barquinha •



Heráldica História e Legislação • Index • Heráldica Autárquica • Portugal • A - Z • Novidades • Contacto • Ligações •
• 
Ultramar Português •
Miniaturas (Municípios) Miniaturas (Freguesias) Miniaturas (Ultramar)

Página actualizada em 11-03-2021                                                                                         Page updated on  11-03-2021